Setembro Amarelo: CRAS Getúlio Vargas alerta sobre o suicídio

Setembro Amarelo: CRAS Getúlio Vargas alerta sobre o suicídio

Setembro Amarelo: CRAS Getúlio Vargas alerta sobre o suicídio

Às vésperas do dia 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, lamentamos falar sobre pessoas que não suportando o “peso” do cotidiano buscam no suicídio a solução dos seus problemas.

Setembro é o mês de conscientização sobre o suicídio. Precisamos falar e pensar sobre esse fenômeno tão antigo e tão atual que assola a humanidade não importando raça, diferenças sociais ou de gênero.

O assunto que já foi um tabu muito maior, ainda enfrenta grandes dificuldades na identificação de sinais seja pela falta de informação ou por preconceito. Pensando nisso, o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) de Getúlio Vargas, por meio de sua Equipe Técnica, se mobiliza e procura trazer a todos informações relevantes e que possam auxiliar a comunidade na prevenção desse mal do qual não podemos ficar alheios.

 

ORIENTAÇÕES AOS PROFESSORES, PAIS E AMIGOS

          NA ESCOLA

  • Ao primeiro sinal de depressão, chame a família. Se a família não tomar nenhuma medida, informe o Conselho Tutelar e a rede de saúde.
  • Crie espaços de fala, de expressão de sentimentos e dúvidas que possam ser acolhidos e compartilhados pelo grupo.
  • Crie momentos de conversa com os alunos enfatizando a vida.
  • Desenvolva ações de prevenção do bullying.
  • Falar sobre suicídio não faz com que a pessoa decida se matar, mas dá a ela a oportunidade de conversar sobre seu sofrimento e assim obter ajuda.
  • Insira a vigilância, a prevenção do suicídio e a promoção da vida no projeto político pedagógico da escola.
  • Trabalhe o tema de forma lúdica, desfazendo mitos e abrindo possibilidades de discussão.
  • Previna o comportamento desafiador e a violência na escola envolvendo o adolescente em projetos de ajuda ao outro ou à comunidade.
  • Estabeleça parcerias com as secretarias de Educação, Cultura, Saúde e Assistência Social.

 

EM CASA

  • Dialogue com o filho e tenha um espaço de convivência. É preciso tirar um tempo para a família.
  • Não deixe o filho isolado. Tenha contato com ele.
  • Uma criança ou um adolescente que altera muito seu comportamento pode estar em sofrimento.

 

COM OS AMIGOS

  • Geralmente o primeiro a perceber é o amigo.
  • Avise os próprios pais para que eles acionem a família do amigo.
  • Acione alguém da escola, professor ou orientador educacional.
  • Guardar segredo não ajudará o amigo. Ajudar é poder repartir.

 

 

PRESTE ATENÇÃO

SINTOMAS DE DEPRESSÃO

  • Alteração do padrão de sono – insônia ou dorme demais.
  • Alteração do apetite.
  • Alteração do humor: pode apresentar choro frequente ou

apenas demonstrar a alteração em atitudes mais impulsivas

(se é uma criança ou um adolescente calmo, passa a ficar

irritado com situações comuns do dia a dia).

  • Sentimentos de desesperança, desamparo e desespero.
  • Desânimo, tédio e queda do rendimento escolar.
  • Pensamento negativo, isolamento.
  • Diminuição do prazer e alegria.
  • Uso de roupas compridas mesmo no calor.
  • Uso de pulseira para esconder os braços.

 

CAUSAS QUE PODEM DESENCADEAR A DEPRESSÃO

  • Abuso de substâncias.
  • Abuso físico e sexual na infância ou adolescência.
  • Bullying (deboche).
  • Desemprego, endividamento.
  • Dificuldades de integração e socialização que começou na escola.
  • Dificuldades em relação a identidade e orientação sexual.
  • Histórico familiar de transtorno psiquiátrico.
  • Problemas emocionais, familiares e sociais.
  • Rejeição familiar.
  • Situações de luto.
  • Situações de assédio moral.
  • Trabalho infantiI.
  • Violência familiar.

 

Assessoria de Imprensa

Close
Close

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.

Close

Close